Por Natália Horta

Você que inspira e atua na liderança de projetos e práticas em seu contexto profissional ou na sua comunidade, já parou para pensar como as relações intergeracionais podem potencializar estas ações desenvolvidas por você? O estabelecimento e o cultivo de relações é um importante valor para a longevidade que nos oportuniza a convivência entre três e quatro gerações ao mesmo tempo! E aqui você  pode estar se perguntando: em que medida lidar com outras gerações pode contribuir para a minha Longevidade e para as práticas que lidero? Com que frequência relacionamos com pessoas de gerações diferentes da nossa? Você já parou para pensar sobre isso? “A intergeracionalidade é uma experiência coletiva de autoconhecimento e que promove benefícios mútuos”.

Como uma liderança pode propor programas intergeracionais que farão com que diferentes gerações se beneficiem mutuamente? Os programas intergeracionais podem estimular o cuidado e o ensinamento compartilhados, da liderança e da promoção do bem-estar da próxima geração pelos mais velhos, de inspiração para a vida profissional e demais atividades significativas do indivíduo na comunidade como a participação voluntária e a integração em movimentos sociais e instituições.

Algumas iniciativas podem ser propostas por você junto das pessoas idosas que integram as suas práticas.  Estas ações podem envolver grupos de idosos da comunidade, escolas  e creches; grupos de idosos de movimentos religiosos, de clubes  com  grupo de jovens ; jovens universitários e idosos da comunidade; pessoas jovens e idosas em uma empresa;  idosos residentes em instituições de longa permanência e crianças e jovens de escolas e universidades próximas.  

As ações inspiradoras propostas a seguir podem tornar o seu grupo de idosos como referência exitosa para práticas intergeracionais: idosos podem colaborar na educação não-formal de crianças/jovens, atuando como mentores de crianças e adolescentes – um “ mentor sênior” com projetos diversos, desde contação de histórias e estórias até a profissionalização. São possibilidades de “ensinagem” com crianças e adolescentes, por exemplo, em que a pessoa idosa ensina o que tem de habilidade,  aprende o que a criança ou o adolescente podem ensinar! Uma outra ação:  os idosos podem ser atualizados, assistidos e apoiados pelos jovens, através de trocas intergeracionais que independem de laços familiares, por exemplo, com jovens tutores de pessoas mais velhas em cursos que requeiram tecnologias digitais, conhecimentos recém-adquiridos nas universidades ou mesmo que digam respeito a algo que já faz parte do dia a dia como a inserção digital. Crianças e adolescentes podem apoiar e serem apoiados por idosos dependentes de cuidados em suas diferentes necessidades. Fica o convite para construir a história – estruturar programas intergeracionais em sua comunidade.

Iniciativa:

Conheça estas experiências: https://sesctv.org.br/programas-e-series/envelhecer/?mediaId=6510cd120f53de6ca74f5c7a8406a6eb

Aqui você  ver uma experiência sobre avosidade: https://www.youtube.com/watch?v=WyI_UMcrTJk

Saiba Mais 

 Década do Envelhecimento Saudável ( 2021-2030) para a construção de uma sociedade para todas as idades: https://www.paho.org/pt/decada-do-envelhecimento-saudavel-nas-americas-2021-2030

Conheça algumas experiências do projeto no Ceará, desenvolvidas de modo remoto na pandemia: https://www.youtube.com/watch?v=PZlWivcZzrU

Busque mapear as instituições possíveis de articulação em seu bairro e em sua cidade. Procure pelas universidades abertas  para a pessoa idosa em sua cidade e proponha parcerias.

Se inspire na experiência do SESC – Serviço Nacional do Comércio, por meio do Projeto “Era uma vez …” : https://portal.sescsp.org.br/files/artigo/418fc22a/dfde/4389/ae05/cba9232ef0a8.pdf

× Olá!